Origens e Criação


INSTITUTO DE INFECTOLOGIA EMÍLIO RIBAS 125 ANOS
“O PIONEIRO NA SAÚDE PÚBLICA PAULISTA”

O Instituto de Infectologia Emilio Ribas foi uma das primeiras instituições de Saúde Pública em São Paulo, sendo inaugurado em 08 de janeiro de 1.880, ainda no Império, através da contribuição da população paulista que doou parte do dinheiro para a sua construção com o objetivo de isolar e tratar os pacientes portadores de doenças infecciosas.

O Hospital, que inicialmente atendia apenas varíola, foi ampliado em 1894, para poder enfrentar as epidemias de doenças infecciosas que estavam ocorrendo na época (febre amarela, tifo, peste, difteria), passando a se chamar Hospital de Isolamento de São Paulo (Capital), considerado no inicio do século XX como um dos melhores do mundo.

O isolamento era rigoroso obrigando os médicos e a equipe de enfermagem a morar no hospital, em edíficio separado, anexo ao pavilhão (Unidade de Internação) em que ficavam os doentes.

Em 1932, o Hospital passou a se chamar HOSPITAL DE ISOLAMENTO “EMÍLIO RIBAS”, em homenagem ao ex-diretor do Serviço Sanitário e patrono da saúde pública de São Paulo.

Novos Prédios
 


A construção do prédio de internação, com nove andares, durou aproximadamente 10 anos e o hospital foi inaugurado em 1963.
No período de 1986 a 1992, o Hospital passou por novas reformas. Foi construído um prédio de 5 (cinco) andares, anexo ao existente, onde hoje estão instalados o Hospital-Dia, Farmácia, Laboratório, Centro Cirúrgico e a Central de Material Esterilizado.

Com a Instituição em reforma e a necessidade de ampliar o atendimento foi criado o Hospital Emilio Ribas II, atual Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS – CRT-DST/Aids.

Epidemias Enfrentadas

 


Participou ativamente de todas as grandes epidemias já ocorridas até hoje, passando a atender a um número cada vez maior de doenças infecciosas, tais como a peste bubônica, difteria, febre amarela, leptospirose, febre tifóide, meningites, coqueluche, hepatites, cólera, aids e muitas outras.

No período de 1971 a 1975, o Hospital enfrentou grandes dificuldades durante a epidemia da meningite meningocócica, internando mais de 1200 pacientes, para uma capacidade instalada de 400 leitos.

Em 1972, atendeu ao surto de Febre Tifóide, ocorrido no Parque Edu Chaves, na Capital.

Enfrentou o surto de Encefalite em 1975, no Vale do Ribeira e Litoral Paulista, atendendo aos pacientes e enviando especialistas ao local.

E desde o início da década de 80, com o surgimento dos primeiros casos de pacientes com a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (SIDA/AIDS), o Hospital tem buscado novos conhecimentos e aperfeiçoamentos a fim de enfrentar esse novo desafio. É a Unidade que atende, ambulatorialmente, o um maior número de pacientes em doenças infecciosas. No ano de 2003, atendemos no ambulatório 68.203 consultas.

Ensino
 


Referência nacional e internacional no ensino da Infectologia.
Corpo docente altamente qualificado: mestres, doutores e livre-docentes.
Mais de 4000 estagiários/ano, entre alunos de graduação e profissionais em especialização, do Brasil e do exterior.

Parcerias com instituições de ensino para a formação e aperfeiçoamento profissional em Infectologia, para estagiários de: Biologia, Bioquímica, Enfermagem,
Farmácia, Fisioterapia, Fono-audiologia, Medicina, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional, Tecnólogo de Raio X.
Estágios individualizados para alunos de escolas não conveniadas e profissionais da área de saúde.

Residência Médica em Infectologia.
Convênio FUNDAP para aprimoramento profissional em Análises Clínicas , Enfermagem, Epidemiologia e Psicologia Hospitalar.
Programa de Pós-Graduação em Ciências integrado à Coordenação dos Institutos de Pesquisa da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.
Reconhecido pelo MEC, e em conformidade com as recomendações da CAPES. Área de concentração: Infectologia em Saúde Pública , nível de mestrado e doutorado.

Pesquisa
 


Produção científica multidisciplinar, na área da saúde.
Participação em protocolos multicêntricos nacionais e internacionais, notadamente ensaios clínicos para o estudo de drogas utilizadas no tratamento de aids, hepatites, meningites e outras.

Pesquisadores reconhecidos: consultores e membros de órgãos e colegiados nacionais e internacionais, atuando em caráter normativo em doenças infecciosas e parasitárias.
Informação e Documentação Científica

Biblioteca aberta à comunidade científica, considerada uma das mais completa em sua área.
Acervo especializado em doenças infecciosas e do sistema imunológico: livros, periódicos nacionais e internacionais, banco de dados para consulta de livros, catálogo de periódicos, slides e imagens digitalizadas, e outros materiais bibliográficos.

Acesso on-line: http://www.emilioribas.sp.gov.br/ERibas/bases.htm

Transormação em Instituto
 


Em junho de 1991 o Hospital foi transformado em Instituto de Infectologia Emilio Ribas , tendo como atribuições: prestar assistência médico-hospitalar; promover o ensino e a pesquisa; contribuir para a educação sanitária da população; absorver o impacto das epidemias e colaborar com quaisquer Instituições na sua detecção e enfrentamento; ser referência estadual e atuar em caráter normativo em sua especialidade. (Decreto Estadual nº 33.408/91)

Atendimentos e Consultas
 


Atendemos pacientes em sistemas de Pronto Socorro, Ambulatório, Hospital-Dia, Internações e Especialidades. Estamos vinculados ao SUS – Sistema Único de Saúde.

O Instituto possui 200 leitos de internações e 17 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Em 2003 houve 2.469 internações.
O nosso público alvo é o doente com suspeita ou diagnóstico de doenças infecciosas e parasitárias, como a SIDA, leptospirose, meningite, hepatite, tuberculose e outras.

O Pronto Socorro atende, em média, 2.500 pacientes/mês, com problemas médicos de urgência ou necessidade de primeiro atendimento.

O Ambulatório atende, em média, 6.000 consultas/mês para acompanhamento médico.

O Hospital-Dia atende, em média, 900 pacientes/mês, para casos com necessidade de medicação especial, principalmente injetável, com aplicações diárias, semanais ou qualquer outra periodicidade necessária sem internação.

O Atendimento Especializado compreende as áreas de: cirurgia, neurologia, neurocirurgia, ginecologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, psiquiatria, hematologia, pneumologia infantil. Os profissionais dessas áreas atendem os pacientes já matriculados no Instituto.
Para esses pacientes temos também atendimento em odontologia, psicologia, fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, serviço social e nutrição.

Diagnóstico e Imagens
 


Os procedimentos de diagnóstico por imagem são realizados pelas seções de endoscopia, métodos gráficos (eletrocardiografia e neurofisiologia), radiodiagnóstico (radiologia convencional, exames contrastados, tomografia computadorizada) e ultra-sonografia.

A Instituição caminha para realizar o serviço de diagnóstico por imagem digital, permitindo o pronto acesso das imagens, em qualquer setor de atendimento.

O Instituto está em constante processo de modernização que decorre das transformações da realidade a que ele atende.

Ainda que o Hospital não seja mais o único a atender moléstias infecto-contagiosas, ele ainda hoje é REFERÊNCIA para casos complexos em infectologia, reforçando sua vocação para as áreas de assistência, ensino e pesquisa.

Na Área de Enfermagem destacamos:

A publicação de livro elaborado por enfermeiros do Instituto (Assistência de Enfermagem em Infectologia – Ed. Atheneu-2000)
Organização e fundação da SOBEINF -Sociedade Brasileira de Enfermeiros em Infectologia – em 2003 com a finalidade de congregar enfermeiros que atuam na assistência, ensino e pesquisa na área de infectologia.

Outros Serviços Prestados
 


No Instituto temos equipes multiprofissionais para dar atendimento especial e acompanhamento a determinados grupos de usuários:

GRUPO DE ATENDIMENTO A GESTANTE COM AIDS – através de seguimento ambulatorial.

GRUPO DE TUBERCULOSE – Atendimento e acompanhamento ambulatorial a pacientes com AIDS e co-infecção de Tuberculose.

CONSULTA DE SOROLOGIA ALTERNATIVA – realizada por enfermeiros - para pessoas aconselhadas a fazer o exame de HIV. O usuário é identificado apenas numericamente, ficando preservado a sua identidade. Também são realizadas orientações sobre prevenção para as demais doenças sexualmente transmissíveis.

MEDICINA DO VIAJANTE – Oferece orientações para viajantes no que diz respeito à prevenção de doenças adquiridas durante e em decorrência de viagens, além de prestar assistência àqueles que retornam doentes. As vacinas, quando necessárias, são dadas no próprio Hospital. Este é mais um serviço pioneiro que o Instituto oferece ao público na área de prevenção à saúde.

CUIDADOS PALIATIVOS – Realizado por equipe multidisciplinar formada por profissionais médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, assistentes sociais, psicólogo, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, nutricionistas, capelães e estagiários. Atendem pacientes portadores de sintomas físicos de difícil controle (principalmente – dor) e em fase avançada de doença, eles são atendidos por toda equipe tanto no setor de internação quanto no ambulatório. Os cuidadores também recebem atenção, visando o próprio bem estar e para melhorar o suporte prestado ao paciente. Além das atividades assistenciais, a equipe se dedica a atividades de ensino e pesquisa, sendo reconhecida pelo Ministério da Saúde, desde 2002, como Centro de Referência em Cuidados Paliativos.

GRUPO MULTIDISCIPLINAR DO AMBULATÓRIO – GMA – Palestra realizada uma vez por semana sobre vários assuntos relativos à saúde, para pacientes e familiares na sala de espera do Ambulatório.

GRUPO INTERATIVO DO SERVIÇO SOCIAL – GISS – Realiza palestras de interesse geral ressaltando aspectos relevantes de saúde, direitos sociais, organização social e cidadania.

GRUPOS COM MÃES – As equipes multidisciplinares das Unidades de Internação de Pediatria, realizam trabalho com as mães acompanhantes das crianças internadas.

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR TERAPÊUTICA – Atualmente atende três Casas de Apoio, com média de 14 pacientes/cada, com perspectiva de ampliação, levando atendimento nos locais que os usuários estão abrigados. Realiza consultas, coleta de exames e medicação, visando uma recuperação mais humanizada, otimizando os recursos hospitalares. A equipe multiprofissional é composta por médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, nutricionista, assistente social, farmacêutico, psicólogo, terapeuta ocupacional e motorista.

ATENDIMENTO DE ACIDENTES PROFISSIONAIS – Este serviço é considerado como referência para acidentes profissionais com exposição a fluidos biológicos. Este atendimento provê aconselhamento e seguimento para profissionais da área da saúde que se expõem, de forma acidental, a fluidos biológicos (por exemplo: sangue, fluidos com sangue etc.). O atendimento é realizado inicialmente no Pronto Socorro, que atende os acidentados em regime de 24 horas. Posteriormente, o acidentado é encaminhado ao ambulatório de acidentes, onde é seguido por até seis meses pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar-CCIH. Ao longo de 19 anos de existência, o serviço atendeu cerca de 5000 profissionais da área da saúde.

GRUPO DE ADESÃO – orientar e acompanhar os usuários que tem dificuldades em dar continuidade ao tratamento médico: resistência ao tratamento, irregularidade na utilização da medicação, não comparecimento às consultas, etc.

CENTRO DE REFERÊNCIA EM BIÓPSIAS HEPÁTICAS –Nos últimos anos, principalmente no estudo das hepatites, a biópsia hepática tornou-se freqüentemente indispensável para o correto encaminhamento do paciente, uma vez que, o aumento de casos de hepatites virais, particularmente a causada pela infecção pelo vírus da hepatite C, vem se tornando um grave problema de saúde pública. O Instituto de Infectologia Emílio Ribas, contando com o empenho das diversas áreas envolvidas, vem se preparando para enfrentar o desafio, a partir de 2005, proporcionando um atendimento de alto nível, equivalente aos grandes centros nacionais e internacionais.

GRUPO MULTIDISCIPLINAR DE ATENDIMENTO DE HEPATITES – presta atendimentos ambulatorial, com cerca de 3.000 consultas/ano e interconsultas de pacientes internados. Participa de reuniões científicas e realiza pesquisas e intercâmbio científico com outros centros de referência.

NUCLEO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO – NAU – tem por objetivo humanizar o atendimento aos usuários no que tange a orientações quanto ao funcionamento dos serviços prestados; situar o usuário na Instituição e estabelecer contato com todas as áreas a fim de resolver os problemas apresentados pelos mesmos e que afete a qualidade dos serviços.

NÚCLEO DE HUMANIZAÇÃO – Tem como objetivo:

• Humanização das condições e das relações de trabalho do profissional de saúde;

• Humanização do atendimento ao público (melhorar a qualidade do atendimento ao usuário).

VOLUNTARIADO – Desenvolve diversos projetos que objetivam ampliar o acolhimento ao nosso paciente e estimular o trabalho voluntário de nossa sociedade dentro do Instituto. Entre estes temos: SABER CONTINUADO (professoras da rede estadual de ensino fazendo acompanhamento escolar para as crianças internadas, com apoio de voluntários); LEITURA SOLIDÁRIA (voluntários estimulando a leitura entre os pacientes adultos) e vários outros.
Para cadastrar-se no Centro de Voluntariado ou conhecer melhor nossos projetos acesse:
http://www.versocial.org.br

Também contamos com a importante participação de organizações sociais como DOUTORES DA ALEGRIA, CONVERSA COM AFETO, VIVA E DEIXE VIVER E

PROJETO CARMIM. Essas organizações sociais parceiras e todo o corpo de Voluntariado do Hospital tornam mais humano e pleno o atendimento a nossos pacientes.

ASSISTÊNCIA RELIGIOSA - Assistência psico-espiritual junto aos pacientes, familiares e funcionários, através da presença efetiva dos Capelães, Auxiliares de Capelania ou Agentes de Pastoral.

Desafios e Perspectivas
 


Em sendo um Instituto de Pesquisa e Referência em Infectologia, único no Brasil e reconhecido mundialmente, com todas as suas peculiaridades e alta complexidade, os desafios apresentados se tornam ainda maiores.

Nossas perspectivas são:

Aperfeiçoar a assistência médico-hospitalar tornando-a mais humanizada e mantendo a excelente qualidade.
Continuar treinando e capacitando profissionais de saúde para o SUS – Sistema Único de Saúde.

Incrementar as atividades de pesquisa, ensino, treinamento e reciclagem para profissionais de saúde.

Preparar-se para absorver o impacto de possíveis epidemias futuras de doenças emergentes, tendo em vista a globalização, que se por um lado facilitou a circulação das pessoas no mundo, por outro também trouxe a possibilidade e a disseminação mais rápida de vírus e doenças estranhas ao nosso meio.

“O Hospital Emilio Ribas esteve durante os 125 anos de sua existência na vanguarda assistencial hospitalar em todas as grandes epidemias de saúde ocorridas no Estado de São Paulo. O grande desafio futuro é o de repensar o Instituto de Infectologia Emilio Ribas no sentido de prepará-lo para continuar como o grande esteio e pólo referencial na assistência, pesquisa e ensino em doenças infecciosas e parasitárias e, com especial atenção, as doenças emergentes.”

 


Prof. Dr. David Everson Uip
Diretor Técnico de Departamento de Saúde